Desvendando o FGC

“Mas é protegido pelo FGC?”

Essa é uma das perguntas que mais foram feitas na história do mercado financeiro brasileiro ao falar de CDB de bancos menores. Em meio a uma grande instabilidade política e econômica, investimentos protegidos pelo FGC conseguiram ganhar ainda mais espaço no mercado.

A diferença da rentabilidade entre os grandes bancos e bancos de médio porte chamou atenção das pessoas físicas. O FGC entra nessa história por fornecer uma proteção extra aos investidores.

O Que é FGC e Sua Origem?

Em geral, pouco investidores sabem o que realmente significa FGC e suas principais características. O Fundo Garantidor de Crédito é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que garante os depósitos e investimentos de clientes até o limite estabelecido em caso de intervenção ou insolvência da instituição financeira. Além disso, vale ressaltar que o Fundo também auxilia na manutenção da estabilidade do Sistema Financeiro Nacional (SFN), ao emprestar recursos para as instituições financeiras. O empréstimo às instituições financeiras ocorre em momentos em que há grande redução na liquidez, em outras palavras, redução do montante de dinheiro em circulação no mercado.

O FGC foi criado em 1995, meio a uma crise do setor bancário brasileiro. Dada a grande proporção que tomou a crise, foi necessária uma maior intervenção do governo. Neste ano foram feitas uma série de medidas tais como reestruturação e fortalecimento da rede de proteção ao sistema financeiro, linhas especiais de liquidez, entre outros.

Saldo do FGC

As reservas somavam, em junho de 2015, aproximadamente 1,2% do volume de recursos elegíveis à cobertura dos títulos. Ou seja, dos R$ 1,75 trilhão de recursos dos associados, o FGC possui R$ 22 bilhões para cobertura. Caso houvesse a necessidade de socorrer algum banco pequeno, esse saldo seria suficiente. Do contrário, se ocorrer quebra de várias instituições financeiras, pode haver falta de recursos.

No entanto, de acordo com a regulamentação do fundo, os recursos do fundo não podem passar de 2% do total dos saldos das contas cobertas pelo mesmo. Caso isso ocorra, poderá haver suspensão temporária das contribuições.

O Que Vale Mais A Pena: CDB, LCI ou LCA? Saiba Agora!

Um Pouco Mais de Legislação

Quando foi criado, o FGC possuía o limite de cobertura de R$ 20 mil por CPF. Desde então, o valor já foi corrigido três vezes (R$ 60 mil, R$ 70 mil, R$ 250 mil).  O valor de R$ 250 mil é o valor máximo, por CPF ou CNPJ, garantido pelo FGC. É importante ressaltar que, em contas conjuntas, a garantia também é limitada a R$ 250 mil. Por exemplo, se você e seu cônjuge possuem um depósito com saldo de R$ 150 mil, cada parte teria direito a R$ 75 mil, caso fosse acionado a garantia. Caso o saldo fosse R$ 450 mil, cada um teria direito somente a R$ 125 mil.

Caso seja acionado, o prazo médio de pagamento das garantias é de 4 meses. É claro que cada caso é um caso, ao qua pendências judiciais podem atrasar o pagamento de garantias. Bancos como Cruzeiro do Sul e BVA passaram por este processo e ele ocorreu de forma bastante aceitável. No entanto, houveram casos de atraso no pagamento, gerando grande desconforto, visto que seu dinheiro não rende enquanto você aguarda o pagamento, por exemplo, o Banco Rural.

Segurança nos Investimentos

Na hora de realizar investimentos, evite esse estresse. Por isso é importante dedicar um montante do capital protegido pelo FGC, diminuindo assim o risco dos seus investimentos como um todo. Os produtos garantidos são:

  • Depósitos de poupança;
  • Depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado;
  • Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio;
  • Depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes a prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares;
  • Letras hipotecárias (LH);
  • Letras de câmbio (LC);
  • Letras imobiliárias (LI);
  • Letras de crédito do agronegócio (LCA);
  • Letras de crédito imobiliário (LCI);
  • Operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos, após 8 de março de 2012, por empresa ligada.

Acreditamos na transparência ao indicar produtos e estratégias.

O uso de produtos protegidos pelo FGC é essencial para um planejamento financeiro bem sucedido, principalmente no cenário atual que estamos inseridos. Conhecemos investidores que já passaram pelo processo da garantia da instituição e, apesar de eficientes, não foi uma boa experiência.

Por fim, procure auxilio para diminuir seus riscos e buscar melhores rentabilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *