Sempre é bom falar: fuja da poupança!

Tempo de leitura: 2 minutos

Por que você investe na poupança?

Já imaginou um investimento de baixo risco, isento de imposto de renda, oferecido por praticamente todos os bancos, coberto em até R$250.000,00 pelo FGC e que garante uma remuneração fixa de 0,5% ao mês mais uma taxa extra conhecida como TR?

Parece o investimento perfeito não é mesmo? Esse investimento existe, entretanto é dele que você deve fugir.

Devido à situação econômica do nosso país, deixar o dinheiro na poupança é perder para a inflação e com isso ver o seu poder aquisitivo diminuir dia após dia.

No cenário de recessão, altas taxas de juros e inflação que todos os brasileiros vivem, os rendimentos provenientes da poupança, além de não superarem a inflação, não são capazes nem de manter a paridade do poder de compra do investidor.

Isso quer dizer que a inflação consome não só os rendimentos da poupança, como também parte do capital lá depositado.

Um exemplo para entender

Para ficar um pouco mais claro, se você tivesse investido R$100.000,00 na poupança em 1º de janeiro de 2015, no dia 1º de janeiro de 2016 seu saldo seria de R$108.070,00.

A inflação desse período, medida pelo IPCA, foi de 10,67%. Para conseguir comprar as mesmas coisas de janeiro de 2015 em janeiro de 2016 seria preciso um capital de R$110.670,00.

Em agosto de 2012 a regra para remuneração das cadernetas de poupança foi alterada e até hoje essa alteração gera certa confusão entre as pessoas. A nova regra depende do valor da taxa de juros da economia brasileira, a SELIC.

Se a taxa SELIC for maior que 8,5% ao ano, a poupança remunerará 0,5% ao mês + TR.*

Se a taxa SELIC for menor que 8,5% ao ano, a poupança remunerará em 70% da taxa SELIC mensalizada, vigente no mês do rendimento + TR.

A TR é uma Taxa Referencial da nossa economia, calculada pelo Banco Central. Representa uma fração da média das rentabilidades dos CDB’s e varia diariamente. Atualmente essa taxa está próxima de 0,12% ao mês.

Além de perder para inflação, outra grande desvantagem da poupança é que o valor aplicado rende somente na data de aniversário. O juros sobre juros ocorrerá mês a mês e não dia útil após dia útil, como funciona na maior parte do mercado financeiro.

Muitas pessoas pensam que investimentos no mercado financeiro significa investir na bolsa, comprando ou vendendo ações e assumindo riscos.

Outros investimentos para você fugir da poupança

O mercado financeiro brasileiro conta com uma grande diversidade de produtos, incluindo títulos de renda fixa, como os CDB, RDB, LCI/LCA, LC, entre outros que têm a mesma segurança da poupança.

Para aqueles com um apetite maior pelo risco, existem ainda os mercados futuros, contratos de índices, commodities, moedas, opções, etc.

Quer saber qual investimento melhor se adequa ao seu momento de vida e perfil de investidor? Receba uma proposta em até 24 horas.

Fazer download do e-book