Quando contratar uma consultoria de investimentos?

Tempo de leitura: 4 minutos

Quantas vezes você já recebeu ligações de seu gerente oferecendo certo produto financeiro? Quantas vezes você foi ao banco resolver qualquer tipo de pendência e acabou “ganhando” conselhos do gerente, que julgou ser seu consultor?

A ideia aqui não é atacar ninguém. Pelo contrário! Queremos apenas esclarecer uma importante pergunta que paira sobre investidores em geral: o gerente do banco é seu consultor de investimentos?

Qual é o papel do Gerente de Banco?

O gerente é um vendedor de produtos de uma instituição financeira, mas que também possui responsabilidades junto aos clientes do banco. Algumas pessoas acreditam que as orientações financeiras obtidas pelo gerente, ou até mesmo por um corretor, são suficientes.

É um erro pensar dessa forma e o erro está na estrutura destas instituições financeiras. Os bancos e corretoras são uma empresa, e como toda e qualquer empresa, o objetivo é obter lucros para aumentar o capital dos donos, sócios e acionistas.

A instituição estabelece metas de vendas de produtos financeiros para todos seus funcionários, incluindo seu gerente, para que a mesma obtenha lucro – e não você. O problema existente em tal estrutura está no conflito de interesse, ao qual o gerente tem maiores incentivos para bater sua meta, ao invés de buscar rendimentos maiores para a carteira de seus clientes.

Qual é o papel do Consultor de Investimentos?

Neste cenário conflituoso, é necessária a entrada de um terceiro agente, um funcionário do próprio cliente que atuaria no mercado defendendo seus interesses e objetivos. Este é o papel do consultor de investimentos.

Por não ser vinculado com nenhuma instituição financeira, o consultor elimina o viés de conflito de interesses com a indicação de produtos que vão proporcionar maior satisfação ao cliente, já que ele não se beneficia por indicar certo produto.

O consultor de investimentos não se limita aos serviços e produtos de uma determinada instituição.

Como é o trabalho de um Consultor de Investimentos?

O consultor possui somente interesses em satisfazer os seus objetivos. Ele atenderá o cliente mediante uma análise clínica do seu perfil, levando em conta todas as informações pertinentes à decisão de investimentos.

Essa análise será uma espécie de consulta , onde o consultor assume o papel de “médico de investimentos”, colhendo informações como:

– Perfil de risco

– Conhecimentos financeiros

– Capacidade de poupança e recursos atuais

– Objetivos de curto, médio e longo prazo

Feito essa análise, o consultor tem a função de entrar no mercado financeiro e elaborar uma espécie de “receituário” para melhor atender seu cliente. O relatório deve estar alinhado com todas as informações coletadas nas reuniões e atender aos objetivos do mesmo.

Atuando com diversas instituições financeiras e toda variedade de produtos, tanto do mercado nacional quanto internacional, o consultor consegue procurar aquilo que atende de melhor forma os objetivos do investidor, além de ser uma fonte de consulta durante toda vigência do contrato.

Quanto custa ter um Consultor de Investimentos?

O valor do serviço varia conforme a demanda do cliente, sendo desde um valor fixo alinhado no início contrato, a chamada Taxa de Administração, até o variável, conforme a performance da carteira, a chamada Taxa de Performance. Ambas as taxas são de comum remuneração do consultor, sendo exercida por todas as consultorias.

Quando contratar uma Consultoria de Investimentos?

Muitas pessoas não sabem o momento correto para utilizar este serviço, detendo uma crença errônea de que seria necessário um grande patrimônio ou grande apetite no mercado financeiro para começar com a consultoria.

Existem inúmeras situações onde a contratação de um consultor de investimentos seria fundamental:

1. Quando mudar o estado civil, seja casamento ou divorcio

O serviço prestado pelo consultor de investimentos, que seja imparcial das questões do casal, pode ser fundamental neste momento de transição. No caso do divórcio, ele pode ajudar a minimizar perdas oriundas da má relação entre os envolvidos. Para o noivos, ele pode ajudar na combinação de ativos e rendas do casamento.

2. Primeiro emprego

Não lidando diretamente com o salário que a pessoa vai receber, a contratação do serviço prestado pelo consultor tem foco maior no longo prazo. No caso, o investidor obteria, desde o início de sua primeira remuneração, a educação financeira necessária para preparar seu patrimônio para aposentadoria futura, alem de adquirir conselhos do consultor sobre como maximizar os ganhos salariais e conhecer as opções financeiras disponíveis.

3. Pensando na aposentadoria

Planejar sua aposentadoria é fundamental para garantir a independência financeira desejada. Apesar de muitos investidores acreditarem que ao poupar 10% a 20% sua aposentadoria está garantida, a realidade é outra.

Para que se faça um bom planejamento financeiro em longo prazo, o acompanhamento do consultor se torna essencial para torna-lo realizável e, ao mesmo tempo, você realize seus sonhos durante esse percurso. Uma diversificação de estratégias, protegendo contra problemas da conjuntura como juros e inflação são ferramentas usados pelos consultores com o intuito de diminuir o risco da sua independência.

4. Sucessão

Infelizmente, a única certeza de nossas vidas é a morte e se preparar para a sucessão necessita de uma inteligência de mercado de um consultor de investimentos. Usando seus conhecimentos técnicos, o consultor irá aconselhar seu cliente sobre as melhores maneiras de diminuir gastos em geral, como impostos, por exemplo.

Seja por meio da análise do seguro de vida adequado ou elaborar um plano de previdência, o consultor utiliza inúmeros produtos financeiros para maior satisfação do cliente.

5. Recebimento de grande quantia de capital

Seja por meio de herança, bônus da empresa e/ou grande aumento, essa é uma grande oportunidade de se realizar investimentos. No entanto poucas pessoas possuem a disciplina necessária para realizar a alocação correta. O trabalho do consultor de investimentos em estudar uma estratégia correta de realizar investimentos, mediante análise do perfil do cliente, pode ser um fator decisivo.

Vale ressaltar que o consultor não é apenas sua inteligência de mercado, ajudando em decisões assertivas no mercado, ele é um funcionário do cliente. O consultor ajuda na parte educacional e no entendimento de produtos financeiros, cenário econômico como um todo, entendimento das leis tributárias e auxiliando na habito de poupar.

ATENÇÃO: Caso o serviço do consultor não esteja de acordo com a demanda do cliente, o mesmo deve procurar a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para esclarecer suas dúvidas ou investigar possíveis irregularidades no mercado financeiro.

Faça a melhor escolha para você

Definido os conceitos dos profissionais envolvidos, é importante ressaltar: um não anula o outro. O serviço do consultor agrega valor aos investimentos do cliente, assim, ele pode usar tanto o serviço do gerente quanto do próprio consultor.

É importante você fazer o dever de casa e definir quando é o momento ideal para sentar e conhecer os serviços do consultor de investimentos. O ideal seria alinhar de forma não compromissada com um instituição, a apresentação da mesma, para ficar o mais claro possível, o ganho do investidor.

Como diria Albert Einstein: “No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade”.