Planejamento Financeiro Pessoal – Guia prático para sucesso financeiro

Tempo de leitura: 10 minutos

O que você faz para atingir seus objetivos financeiros? Todos temos sonhos e objetivos, mas é como você lida com seu dinheiro hoje que define sua capacidade de atingi-los no futuro.

Este é um guia completo para você entender e desenvolver seu planejamento financeiro pessoal, baseado nas estratégias que utilizamos aqui na V10 investimentos para desenvolver o planejamento de nossos clientes.

Ele é composto de 8 passos, que vamos abordar com detalhes durante o texto:

  1. Tenha controle das suas finanças pessoais;
  2. Gaste sempre menos do que ganha;
  3. Pague todas as suas dívidas;
  4. Defina seus objetivos financeiros;
  5. Entenda seu perfil de investidor;
  6. Monte sua carteira de investimentos de acordo com seu perfil e objetivos;
  7. Comece a planejar sua independência financeira;
  8. Acompanhe, analise e melhore seus investimentos.

Antes de entrarmos no guia prático, é preciso deixar claro o conceito e importância de um planejamento financeiro pessoal. 

O que é um planejamento financeiro pessoal

Planejamento financeiro pessoal é a ação de definir um plano prático para controle e utilização do seu dinheiro, visando atingir objetivos financeiros pré-definidos. 

Ele começa com o controle do fluxo do seu dinheiro, passa pela definição dos seus objetivos e planos de vida, e tem como ponto central a definição de um plano de como e onde alocar seu dinheiro para atingir seus objetivos econômicos.

No entanto, o sucesso de um planejamento financeiro pessoal vai além da etapa de planejamento em si, exigindo uma mentalidade de controle financeiro que pede dedicação e hábitos.

Por que ter um planejamento para sua vida financeira

Essa talvez seja a mais simples de responder. Fazer seu planejamento financeiro pessoal é o processo mais importante para atingir seus objetivos. 

Não importa se seu objetivo é sair da casa dos pais, comprar o carro dos seus sonhos, fazer uma viagem internacional, comprar uma casa na praia, aumentar o rendimento do seu dinheiro, casar ou atingir a independência financeira.

O caminho mais rápido para chegar a qualquer um desses objetivos é através de um planejamento financeiro pessoal.

É ele que garantirá um controle do seu patrimônio que fará com que você chegue no momento de realização dos seus objetivos com os recursos financeiros necessários.

Preciso de um planejamento financeiro mesmo tendo pouco dinheiro?

Essa é uma dúvida comum e que muitas nem sequer consideram tirar, simplesmente negligenciando o planejamento de suas finanças pessoais.

Fazer um planejamento financeiro não tem a ver com a quantidade de dinheiro que você possui, e sim com como você maneja e lida com ele.

Arrisco dizer que é ainda mais importante se planejar quando se tem pouco dinheiro. Como expliquei, planejamento financeiro se trata de uma etapa prática de uma mentalidade maior, a de controle de suas finanças pessoais.

Isso significa ter um cuidado maior com seu fluxo de caixa, controle de seu padrão de vida e planejamento para garantir estabilidade financeira.

Para quem tem pouco dinheiro é ainda mais importante tratar seus recursos com cautela, garantindo que você mantenha um padrão de vida sustentável.  

Entendido o valor de um planejamento financeiro, vamos a um passo a passo prático de como executar o seu!

Passos para desenvolver o seu planejamento financeiro 

Planejamento financeiro pessoal é um processo longo, mas vamos tentar quebrá-lo em passos para que você possa executar o seu da melhor forma possível!

Para começar, é preciso ter total conhecimento sobre sua situação financeira atual. Isso só é possível se você realmente controlar suas finanças.

1º passo – Tenha controle das suas finanças pessoais

Controle financeiro pessoal é a ação de dirigir sua própria vida financeira. Isso vai desde o registro de seu fluxo de caixa até a análise e comparação das suas finanças com seu estilo de vida.

Você já ouviu falar que só possível controlar aquilo se mede? Pois bem, esse é o primeiro passo para garantir que você tenha controle financeiro.

Você precisa ter registro completo do seu fluxo de caixa. É preciso saber quanto dinheiro entra mensalmente e quais são seus gastos mensais, divididos por tipo.

Temos uma planilha de controle de gastos pessoais que vai te ajudar a registrar e analisar seu fluxo de caixa.

Para mapear seus gastos é preciso primeiro descobrir como acompanhar suas transações em seu banco. Hoje a maioria dos bancos oferece aplicativos e sites onde é possível ter um relatório completo de suas movimentações bancárias.

Se seu banco não oferece esse serviço com facilidade, considere trocar para um banco digital, onde o acesso a informações das suas movimentações normalmente é muito simples.

Uma vez que você tem acesso ao seu fluxo de caixa, é o momento de registrar seus gastos por tipo. Para isso a planilha de controle de gastos pessoais pode ajudar muito.

Nela você vai poder registrar suas movimentações financeiras entre os seguintes tipos:

    • Receitas – todos os ganhos financeiros. Exemplos: salários, receita financeira, rendimento de aluguéis, etc. 
    • Despesas Fixas – todo o dinheiro que sai de seu caixa, mas que seja um valor esperado ou fixo no mês. Exemplos: aluguel, mensalidades, planos de saúde, impostos, etc.
    • Despesas Variáveis – todo o dinheiro que sai de seu caixa, mas que tenha valor final variável de acordo com seus hábitos. Exemplos: água, gás, luz, etc.
    • Despesas Extras e Adicionais – todo o dinheiro que sai de seu caixa, mas que seja algo não esperado e/ou improvável de acontecer. Exemplos: conta médica, conserto de carro, etc.
  • Investimentos 

O resultado é uma visão completa de seus gastos:

planejamento financeiro pessoal

É possível também usar aplicativos de controle financeiro para realizar essa atividade, sendo que alguns até podem ser integrados com sua conta bancária, puxando os seus gastos e receitas direto da fonte.

Antes de começar a análise de seu fluxo de caixa, é preciso também registrar suas dívidas.

Registre todas, especificando também quanto falta para quitá-las e qual a previsão de encerramento de acordo com a taxa de juros. Dívidas são complicadas, mas é preciso encará-las de frente para garantir um futuro financeiro saudável.

Preparamos um artigo com os 9 passos para atingir o controle financeiro. Confira aqui!

2º passo – Gaste sempre menos do que ganha 

Aqui entra uma parte vital para ter uma vida financeira saudável. 

É muito importante que você nunca gaste mais do que ganha, e isso requer dedicação e mudança de mentalidade em relação ao seu dinheiro.

Consideramos que ter uma vida financeira saudável significa poupar 20% de tudo que você ganha. Sabemos que esta é uma meta difícil para que não tem hábitos financeiros saudáveis, mas existem algumas formas de chegar lá.

Entenda quanto falta para você ter saúde em sua vida financeira

Para isso você pode utilizar nossa planilha de diagnóstico financeiro. Ela vai te ajudar a entender qual a sua condição atual, e quanto você precisa poupar para chegar a um nível de saúde financeira.

Analise o fluxo de caixa que você registrou no passo anterior e procure por brechas para economizar dinheiro

Analise cada uma de suas fontes de despesas e entenda onde você pode economizar. Ao invés de propor mudanças bruscas em seus gastos, tente fazer alterações que você realmente vai conseguir manter.

Uma das dicas principais para economizar mais dinheiro é definir quanto você quer economizar no mês antes dele começar. 

Pense em um valor possível e delimite que você irá gastar somente o que sobrar do seu orçamento, nunca o contrário. 

Uma boa tática para começar a executar esse plano é já iniciar o mês transferindo o valor delimitado para uma conta diferente. Isso irá dificultar que ele seja gasto por impulso.

Faça uma análise de seu padrão de vida

É preciso comparar seus gastos mensais, que definem seu padrão de vida e de consumo, com o seu orçamento real. É muito fácil adotar comportamentos que exigem um poder aquisitivo maior do que você realmente pode bancar. 

Entender que seu padrão de consumo diário impacta diretamente em sua capacidade de alcançar seus objetivos financeiros é um passo difícil, mas necessário se você realmente deseja levar sua vida financeira mais a sério. 

Você confere essas e outras dicas de como economizar dinheiro neste artigo completo. 

A medida que você acumula renda, estará mais perto de uma vida financeira saudável, e poderá tomar ações para aumentar seu patrimônio e se aproximar de seus sonhos.

3º passo – Pague todas as suas dívidas

É hora de resolver as dívidas que você registrou no primeiro passo. Para isso, avalie quais das suas dívidas são realmente caras. 

Quando digo que uma dívida é cara, não me refiro ao valor total do pagamento, e sim dos juros dessa dívida.

Dívidas caras são aquelas que têm juros altos, acarretando em um aumento do valor total pago. Em casos onde os juros são muito altos, o valor final gasto pode superar em duas ou mais vezes o valor inicial.

Se você não conhece os efeitos dos juros em suas dívidas, se informe das taxas e faça as contas você mesmo. Com esta calculadora de juros online você pode entender qual o valor que você realmente está pagando.

Você pode consultar seu credor em relação a possibilidade de uma negociação, diminuindo taxas e cortando o valor total da compra!

Dívidas são uma verdadeira pedra no sapato e podem estar te impedindo de começar a investir em seus sonhos financeiros. Portanto é importante lidar com elas para se livrar desse peso o quanto antes.

Esses três passos iniciais são uma forma de ‘arrumar a casa’, organizando suas finanças e estabelecendo uma base para que você consiga atingir seus objetivos. De agora em diante, entram as etapas mais relacionadas ao planejamento financeiro pessoal em si.

4º passo – Defina seus objetivos financeiros

Agora é o momento de definir com clareza quais são seus objetivos financeiros. Mais do definir quais são, é preciso registrar o tempo aproximado até a execução dos sonhos e o valor necessário para cada.

Por exemplo: se você tiver 3 sonhos financeiros distintos; viajar para a Europa, comprar um imóvel e atingir a independência financeira; precisa registrá-los com mais detalhes. Ficaria assim:

  • Viagem para a Europa: planejada para daqui a 1 ano e meio, no valor de R$ 20.000,00 
    • Compra de um imóvel: planejada para daqui a 10 anos, no valor de R$ 1.000.000,00 

É claro que os valores podem sofrer pequenas variações em alguns dos seus objetivos, afinal estamos falando de longos períodos de tempo até eles serem concretizados.

Não se preocupe. Faça revisões anuais em seus objetivos, atualizando e corrigindo seus investimentos de acordo com as mudanças.

Mas como investir para alcançar objetivos? Antes é preciso entender qual tido de investidor é você.

5º passo – Entenda seu perfil de investidor

Antes de montar um planejamento para investir seu dinheiro, é importante entender qual o seu perfil de investidor. 

Perfil de investidor é o que define a quantidade de risco que sua carteira pode possuir, portanto moldará os investimentos que você escolherá.

planejamento financeiro pessoal

Quanto maior o risco de uma carteira, maior é sua volatilidade. Isso significa que o valor que você investe está mais sujeito a grandes flutuações em curtos períodos.

Em um investimento de risco elevado, por exemplo, você pode ver seu dinheiro valorizando 10% em uma semana mas tendo um rendimento negativo de 15% em outra. 

Já investimentos de baixo risco são marcados por taxas de rendimento mais constantes, se mantendo positivos mas com baixo rendimento.

Uma pessoa com perfil de investidor conservador não se sentirá confortável em ver que um de seus principais investimentos teve uma queda de 10% em um mês.

Por outro lado, um investidor com perfil sofisticado se sentirá limitado vendo sua carteira montada apenas com investimentos de renda fixa.

Vamos abordar com detalhes este assunto no próximo tópico, mas já adianto que ter um perfil de investidor conservador não significa que você não possa ter produtos de risco em sua carteira, por exemplo.

Seu perfil de investidor te ajuda a definir como dividir investimentos de baixo, médio e alto risco dentro de sua carteira. 

planejamento financeiro pessoal

Perfis mais conservadores terão apenas uma parte muito pequena de sua carteira em investimentos de risco, enquanto investidores arrojados podem colocar uma parte maior de seu patrimônio em produtos de alta volatilidade.

Desenhar seu perfil de investidor passa por compreender sua tolerância à volatilidade, mas também seu momento de vida e dados pessoais.

Ao considerar todos esses fatores, faça o teste de perfil financeiro para descobrir quanto de risco sua carteira deve ter.

Disponibilizamos o download gratuito do teste com as instruções para realização aqui.

Ao responder as perguntas do teste você descobrirá em qual dos 4 perfis você se encaixa, conservador, moderado, sofisticado ou profissional. 

6º passo – Monte sua carteira de investimentos de acordo com seu perfil e objetivos

Agora que você já estabeleceu seus objetivos e tem seu perfil de investidor definido, chega o momento de se planejar para alocar seus investimentos da melhor forma possível.

Vamos mostrar o modelo básico que usamos para estruturar a carteira de nossos clientes aqui na V10, com base em seus resultados de teste de perfil. 

adianto que as divisões que propomos não são uma regra. Usamos ela como base, mas é preciso adaptá-las para que se encaixem ao que você deseja e te deixe mais confortável.

Quando você chegar ao fim do teste de perfil de investidor vai receber uma nota que varia entre 7, perfil mais conservador, até 33, perfil de investidor profissional. 

Para quem possui um perfil conservador, indicamos usar as seguintes modalidades de produtos:

Perfil de investidor para planejamento financeiro

Ou:

planejamento financeiro para investidores conservadores

Perceba como aqui indicamos produtos que garantem ao investidor uma rentabilidade constante, sempre acima da inflação e sem muita volatilidade. Isso garante resultados positivos com produtos de baixo risco.

A presença de produtos como CDBs e títulos públicos é marcante para investidores que estão menos propensos a riscos.

Para investidores de perfil moderado, indicamos carteiras montadas das seguintes maneiras:

planejamento financeiro para investidores moderados

Ou:

planejamento financeiro para investidores moderados

Em carteiras de investidores moderados os investimentos em renda variável e fundos multimercado já começam a aparecer, ocupando uma parte pequena do total investido. 

Para investidores sofisticados recomendamos dividir a carteira assim:

planejamento financeiro para investidores sofisticados

Ou:

planejamento financeiro para investidores sofisticados

Dando sequência às mudanças nas carteiras moderadas, investidores sofisticados tem os fundos multimercado e renda variável tomando mais lugar dos produtos de renda fixa.

As carteiras de investidores profissionais ficam assim:

planejamento financeiro para investidores profissionais

Ou:

planejamento financeiro para investidores profissionais

É importante notar como mesmo na divisão de carteira mais propensa a risco ainda indicamos alocar 35% de seu patrimônio em produtos de renda fixa

Isso pois um dos aspectos mais importantes de uma carteira de investimentos é a diversificação de produtos. Se acontecer um evento que derrube drasticamente a rentabilidade de seus investimentos de renda variável, você terá a garantia de que parte de seu capital está seguro.

Além de considerar seu perfil de investidor, é importante que você tenha seus objetivos em mente quando montar sua carteira. 

Se um de seus objetivos é uma viagem para a Europa, como citei de exemplo no passo 4, é importante que você tenha um planejamento específico para acumular e resgatar esse dinheiro quando o momento certo chegar.

Investir envolve fazer testes e entender o que funciona melhor para você

Assuma o controle das suas finanças, teste diferentes opções e busque entender tudo sobre o mercado financeiro. E se precisar de umas dicas nós te ajudamos!

7º passo – Comece a planejar sua independência financeira

Nunca é cedo demais para começar a planejar sua independência financeira, principalmente se isso fizer parte dos seus objetivos.

Nós temos um texto que explica tudo sobre como planejar e atingir sua independência financeira, mas vamos abordar o básico aqui.

Independência financeira é quando sua renda passiva (renda que vem do seu patrimônio financeiro) é capaz de manter seu custo de vida mensal

Se você cumpriu o planejamento financeiro até aqui, sabe qual a média de seu custo de vida mensal, portanto já sabe qual o valor de sua independência.

Agora você precisa decidir qual modelo de independência financeira você deseja: modelo de renda temporária ou renda vitalícia. 

Na renda vitalícia você acumula um valor suficiente para que, quando virar a chave da independência, seu custo de vida seja mantido apenas pelo valor que seu patrimônio rende, mantendo seu patrimônio total inalterado. 

Representado graficamente, o modelo de renda vitalícia fica assim:

planejamento financeiro para independência financeira

Em comparação, no modelo de renda temporária o patrimônio acumulado também é utilizado para manter seu custo de vida mensal. 

Isso faz com que o patrimônio total vá diminuindo ao longo do tempo, mas o valor necessário para virar a chave da independência financeira é menor.

Visualmente, o modelo de renda temporária fica assim:

planejamento financeiro para independência financeira

É importante avaliar qual modelo te atende melhor, de acordo com seu perfil, objetivos e momento de vida. 

Uma vez que você decidir, use nossa calculadora de independência financeira gratuita para entender quanto precisa acumular para atingir a independência nos moldes que você deseja.

Para investir seu dinheiro e começar a buscar sua independência, veja nossas dicas de produtos ideais para este tipo de investimento.

8º passo – Acompanhe, analise e melhore seus investimentos 

Agora que você já estruturou seu planejamento financeiro, resta manter um olhar atento ao desempenho de seus investimentos e buscar melhorar sempre.

É preciso entender os resultados que você está tendo, e promover mudanças em sua carteira quando necessário.

Mais conhecimento sobre mercado financeiro também nunca faz mal. Tente acompanhar mais as notícias geopolíticas que impactam no mercado financeiro.

Se quiser dicas de profissionais sobre como melhorar seu planejamento financeiro, solicite uma consultoria gratuita com os especialistas da V10 investimentos!