O planejamento financeiro familiar na sua vida

Tempo de leitura: 4 minutos

O conceito de planejamento financeiro é ainda algo distante da maioria dos brasileiros.

 

Como alguém poderia planejar a sua aposentadoria por exemplo, se não tinha a mínima ideia de quanto seria a inflação no mês seguinte?

Por que alguém se preocuparia em poupar para comprar algo no futuro, se ele não tinha condições mínimas de enxergar como seria esse amanhã?

Os avanços do nosso país são inegáveis e mesmo assim os brasileiros adultos que participaram deste processo, ainda não acompanharam essa evolução no seu planejamento pessoal.

As escolas ainda não desenvolvem o assunto com propriedade para os jovens e os adultos de amanhã lidam com sua vida sem um planejamento considerável da sua vida financeira.

Como começar o planejamento financeiro familiar?

Para facilitar o entendimento, vamos relembrar brevemente o que consiste o planejamento financeiro.  É um processo composto de três etapas básicas: maximização da sua renda, poupar e investir inteligentemente para cada projeto que você possui.

Entenda maximizar a sua renda, como buscar o aperfeiçoamento profissional que possibilite alcançar uma receita satisfatória na sua vida. Em outras palavras, é buscar maneiras de se tornar um profissional mais capacitado para possuir um salário/renda que suporte seus gastos e também que possibilite sobrar dinheiro no final do mês.

Poupar é evitar que todo o salário seja consumido com gastos de curto prazo, afinal de contas você precisa destinar uma parte da sua renda para projetos de médio e longo prazo.

Investir de maneira inteligente é buscar produtos financeiros que permitam que o seu dinheiro tenha um rendimento acima da inflação durante o período que ele esteja aplicado. Lembrando que para cada objetivo que você possuir e o prazo para ele ser concretizado, vai ser um determinante para definir os tipos de produtos financeiros.

Para desenvolver um planejamento financeiro familiar, o casal vai precisar seguir este roteiro:

1. Mapear todos os gastos e receitas do casal

2. Ter uma proteção familiar

3. Possuir uma reserva de emergência;

4. Definir os objetivos de médio e longo prazo de cada um e do casal

5. Monitorar a evolução das metas vs realizações.

6. O mercado financeiro gerar a renda do casal

O processo de mapear todos os gastos e receitas pode ser algo bastante natural para uma pessoa e talvez algo próximo de ser insuportável para o outra. Independente da opinião de cada um, é quase obrigatório que o casal converse e defina como irá fazer isso.

Afinal de contas, já imaginou a dupla pilotar um avião sem possuir qualquer informação a respeito da altura do avião, a sua velocidade, a quantidade de combustível e etc.?

O passo mais importante seria a definição dos objetivos. Como o casal planeja as suas férias? O Os dois gostariam de ter filhos? Quantos e quando? Querem comprar um imóvel? Os objetivos do casal precisa ser colocado “no papel” e de maneira transparente definir o prazo para realizá-lo e qual o custo real dele.

Exemplos de planejamento financeiro familiar

1. João e Maria gostariam de viajar em 12 meses para o nordeste e irão gastar no máximo R$ 15.000,00. Eles gostariam de planejar essa viagem e colocar em prática o planejamento deste objetivo.

Maria pesquisou, fez contas e junto com João chegou no consenso de que irão precisar aplicar mensalmente aproximadamente R$ 1.183,00 em algum produto que renda 1% ao mês (desconsiderando impostos) e que não tenha variação negativa neste período.

Logo a solução pode ser um fundo de renda fixa conservador ou até mesmo o Tesouro Selic.

2. Outro exemplo comum é o caso de Aline e Pedro. A dupla gostaria de ter dois filhos no próximos dois anos e querem desde já garantir recursos para que cada um faça uma faculdade em 20 anos.

Pedro pesquisou nas faculdades e percebeu que caso os seus futuros filhos tivessem o desejo de fazer o curso de medicina em alguma faculdade particular da sua cidade, ele iria necessitar desembolsar R$ 8.000,00 para cada um.

Como ele e Aline poderiam planejar para essa despesa futura? Eles podem contratar uma previdência privada (no caso um VGBL) – que não cobra carregamento de entrada e que possui uma TAF de até 2% a.a. – e contribuir mensalmente durante todos estes anos ou até mesmo comprar títulos do governo como por exemplo o Tesouro IPCA+ todos os meses.

Conte com profissionais para fazer seu planejamento financeiro

A escolha dos produtos financeiros é um processo que requer conhecimento e paciência também. Realmente não é aconselhável deixar o seu gerente ou sua corretora tomar esta decisão por vocês.

A consultoria financeira existe para tornar o processo de investimentos algo mais assertivo e profissional. Definir se uma previdência é o melhor caminho, qual título do tesouro direto é aconselhável para determinado objetivo, se investir em ações ajuda neste processo, é o trabalho do consultor.

Estamos acostumados também com casais que conhecem tecnicamente do assunto, mas preferem contar com um profissional especializado, para delegar o trabalho de estruturar os investimentos e aproveitar mais o tempo livre.

Benefícios do planejamento financeiro

Os benefícios do planejamento financeiro são inúmeros e geraria uma lista enorme neste texto. De qualquer modo, podemos destacar três pontos mais notáveis:

1. Gastar menos dinheiro para determinado projeto

2. Andar com a vida financeira em dia caso ocorram imprevistos

3. Sentimentos como “vivo para pagar contas”, “não consigo juntar dinheiro para comprar uma casa” dificilmente irá aparecer na vida da dupla

Se você chegou até esta etapa do texto, saiba que seu interesse já é algo que vai fazer diferença na sua vida.

Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários que vamos ajudar você.