Planejamento financeiro para casal: as esperadas férias

Tempo de leitura: 2 minutos

As férias de um casal são um dos momentos mais esperados do ano. E um bom planejamento financeiro ajuda para que tudo seja especial.

Mesmo com o cenário econômico ruim, os brasileiros não deixam de pensar nas férias. Um levantamento da Ipsos Connect mostra que 70% dos entrevistados pretendem fazer viagens nacionais e internacionais nos próximos 12 meses.

Como a gente sabe que não é diferente com vocês, preparamos algumas dicas para fazer um passeio econômico, sem perder em qualidade e diversão. Ah, não deixe de conferir, também, as dicas sobre casamento e lua de mel.

Arrume as malas e boa leitura 😉

Defina o seu orçamento

Todo casal precisa de prioridades. Por isso, não adianta sonhar com o mundo se vocês não têm condição financeira para isso. E é aí que o planejamento financeiro vai ajudar vocês.

Antes de qualquer coisa, estabeleçam um orçamento para a viagem, colocando um teto condizente com o que é possível gastar.

Vocês evitam se endividar futuramente e começam a planejar a viagem de forma mais adequada com a realidade.

Priorizem suas escolhas

Em geral, passagem e hospedagem são os itens fixos mais caros de uma viagem. Por isso, priorizem as escolhas do país/cidade e do hotel/pousada onde querem ficar.

Depois, partam para os meios de transporte durante as férias. Isso é muito importante, principalmente para passeios que contemplam mais de um lugar.

Ao final, detalhem o consumo diário com alimentação e diversão. Com esse “funil” de gastos, vocês conseguem fazer um bom planejamento financeiro da viagem e se organizar melhor.

Atenção ao dinheiro recebido pelas férias

Quem trabalha com carteira assinada já sabe: o período de férias é recheado de pagamentos.

Você recebe 1/3 de férias, mais um salário antecipado, o salario do mês e, caso venda parte das férias, ainda recebe um valor por isso. É uma tentação ver esse montante de dinheiro.

O problema é que, no mês seguinte, você não receberá salário. A nossa dica é: separe o que você precisa para bancar as contas que virão no futuro e use apenas o dinheiro extra do mês (abatendo as contas do presente) para investir nas férias.

A época do ano faz toda a diferença

Se vocês planejam viajar em períodos de alta temporada, como julho e janeiro, é muito importante organizar a sua viagem com antecedência.

Pesquisem preços com, no mínimo, um ano antes das férias. Assim, é possível encontrar boas oportunidades de passagens aéreas e outros itens que pesam no bolso, como a hospedagem.

Se o casal quiser mais tranquilidade e a escolha for períodos de baixa temporada, a dica por se antecipar ainda vale, mas com o olho sempre aberto a oportunidades de última hora.

Como o movimento é menor, as empresas estão mais abertas a negociar preços para fechar vagas em aberto, por exemplo.

Dinheiro ou cartão?

Se a viagem for para dentro do Brasil, leve em dinheiro apenas a quantia necessária para gastos básicos do dia, como transporte e alimentação. O restante pode ser pago no cartão ou com saques em caixas de banco (lembrem-se de verificar se há caixas na cidade destino).

Atenção: cartão é, sem dúvida, mais cômodo e seguro. Mas vocês podem perder a noção dos gastos e se complicar financeiramente no futuro. Usem com consciência.

Para viagens ao exterior, quando for possível usar o dólar, é aconselhável ir a uma casa de câmbio e comprar cédulas. Isso garante uma vantagem tributária: o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) será de apenas 0,38% contra 6,38% dos cartões de crédito ou de viagem.

Tudo pronto para viajar? Se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários!