Pagar Dívidas ou Investir: Qual a Melhor Opção?

Tempo de leitura: 3 minutos

Se você acompanha sites e noticiários sobre finanças, certamente já ouviu sobre a importância de investir continuamente e de se prezar pelos investimentos em primeiro lugar quando o assunto é planejamento financeiro, não é mesmo? Pois saiba que essa regra nem sempre é aplicável e que, para quem possui dívidas, talvez seja melhor esperar algum tempo antes de dar início a carteira de investimentos!

Entendendo Suas Dívidas

Se você possui dívidas com bancos ou financiadoras, possivelmente já imaginou que poupar e investir é uma forma de evitar que esse erro não se repita num futuro e ainda assim garantir uma quantia relevante para quitar as contas, certo? Esse é o raciocínio mais simples e intuitivo, mas quando colocamos dívidas e investimentos em diferentes lados da balança, infelizmente os juros altos irão pesar muito mais.

O primeiro ponto a ser levado em consideração para quem deseja quitar dívidas e investir é analisar cada uma de suas dívidas e avaliar se estas são consideradas dívidas caras ou dívidas baratas. Nesse caso, não estamos falando sobre o valor de sua dívida, mas sim dos juros cobrados a cada mês.

Por exemplo, a dívida de um imóvel comprado em longo prazo é uma dívida “em conta”, mesmo com um valor alto, já a dívida do seu cartão de crédito ou do cheque especial é uma dívida caríssima, pois pode chegar a até 15% de juros ao mês mesmo que o valor devido seja irrisório.

Sendo assim, é preciso que você anote todas as suas dívidas e coloque ao lado o quanto cada uma delas irá cobrar de juros. Faça uma projeção simples de quanto essa dívida poderá crescer em um ano.

Clique aqui e conheça os melhores apps para ajudar no controle financeiro diário!

Por Que Não Devo Investir Enquanto Quito as Contas?

Agora vamos falar sobre investimentos. Levando em consideração que você é um investidor com perfil conservador ou que está começando no mundo das finanças, as opções de investimentos tendem a ser reduzidas e muito semelhantes, com investimentos que chegam numa rentabilidade de aproximadamente 0,8% ao mês. Em alguns casos você poderá encontrar uma rentabilidade maior, mas raramente ela estará acima de 1% ao mês.

Agora calcule: quanto é preciso investir para que a rentabilidade supere os juros de sua dívida? Supondo que a rentabilidade de seu investimento seja de 1%, você conseguirá 12% em um ano, valor este que ainda é inferior às tradicionais taxas de crédito e rotativo oferecidas pelo banco.

Investir com dívidas é gerenciar seu dinheiro de forma inocente, pois o retorno não será suficiente para suprir uma dívida que só aumentará nesse período. É preferível que você não invista em um primeiro momento e evite a inadimplência, pois um dos maiores erros do brasileiro ao investir atualmente é ignorar as dívidas e olhar apenas para a lucratividade em longo prazo.

Fuja da cilada de se endividar com o cartão de crédito ou cheque especial!

Saiba Quando Começar a Investir

Se você deseja investir, é recomendado que primeiramente quite todas as dívidas, salvo exceções como imóveis já financiados, que possuem médio juros e já foram negociados, tornando inviável a desistência do mesmo.

Vá até o banco ou instituição financeira e negocie sua dívida para evitar que esta cresça ainda mais. Escolha valores que você consiga pagar e, se possível, tenha alguma quantia em mãos para que os valores sejam reduzidos. Enquanto estiver pagando suas dívidas, aproveite o tempo para estudar sobre finanças e conhecer um pouco mais do universo das aplicações, assim você já começará preparado e com conhecimento sobre o assunto.

Somente com essa questão resolvida você deverá começar a investir. Faça um planejamento financeiro com o auxílio profissional e entenda quanto você deve poupar e quanto pode gastar. Em seguida você irá definir metas e objetivos para todo o dinheiro a ser investido e poderá finalmente dar início a sua carteira de investimentos.

A inteligência financeira não está apenas em investir e obter rentabilidade, mas principalmente em saber quando e como utilizar o dinheiro de forma sábia e racional, dando prioridade para situações que exigem mais atenção, mesmo que momentaneamente.

Quitar as dívidas antes de investir é a forma mais segura e inteligente de começar a vida financeira, pois começar do zero é sempre melhor que começar já no vermelho!