Independência Financeira – conceito, calculadora e bons investimentos

Tempo de leitura: 7 minutos

Independência financeira pode ter significados diferentes para cada pessoa, mas o importante é entender que atingi-la só é possível com muito planejamento financeiro e seriedade no controle da sua vida financeira

Neste artigo vamos te ensinar:

    • O que é independência financeira;
    • Tipos de independência financeira;
  • Como definir e executar seu planejamento de independência financeira usando patrimônio financeiro.

Aproveite e já faça o download da nossa planilha gratuita de cálculo de independência financeira.

Ela será usada como ferramenta para fazer os cálculos que vamos ensinar aqui.

O que é independência financeira?

Por definição, independência financeira é quando sua renda passiva (renda que vem do seu patrimônio financeiro) cobre seu custo de vida.

Num exemplo simples, independência financeira acontece no momento em que a quantidade de dinheiro que você ganha mensalmente através do rendimento das suas aplicações passa a garantir seu padrão de vida.

Quando falei que independência financeira pode ter significados diferentes para cada pessoa, quis dizer que muitas situações são confundidas com o significado central do termo. 

Independência financeira pressupõe que sua renda passiva permite que você passe o resto de sua vida sem uma fonte de renda ativa (emprego). Mas esta definição pode ser confundida com a aposentadoria, por exemplo. 

Vou mostrar termos e situações que são frequentemente confundidas com independência financeira, e suas diferenças.

Independência Financeira e Aposentadoria são a mesma coisa?

Tecnicamente aposentadoria e independência financeira tem o mesmo efeito prático: a pessoa deixa de depender de sua renda ativa para cobrir seu custo mensal pelo resto da vida. 

Entretanto, os conceitos não são exatamente a mesma coisa. 

A aposentadoria está ligada a uma noção de idade e tempo de contribuição. A pessoa trabalha e contribui para uma previdência pública ou privada, até o dia em que passa a viver de renda passiva.

Independência financeira, por outro lado, pode acontecer a qualquer idade, sem a pessoa ao menos pisar no mercado de trabalho

Alguém que recebe uma grande herança, por exemplo, pode viver de renda passiva sem ter passado por um emprego com renda ativa.

Independência Financeira e Reserva de Emergência são a mesma coisa?

Outro conceito que pode ser confundido com independência financeira é a reserva de emergência

Reserva de emergência, como o nome adianta, é uma reserva de dinheiro feita com o objetivo de te suprir em caso de algum evento inesperado, como demissões ou problemas de saúde.

Acontece que por ser uma reserva que te permite viver alguns meses sem depender da renda de um emprego, reservas de emergências são confundidas com o conceito de independência financeira, mesmo se tratando de coisas diferentes.

A diferença é que reservas de emergência são feitas para te sustentar por alguns meses, no máximo um ano. Na independência financeira, o planejamento é feito para que você se sustente pelo resto da vida.

Veio aqui procurando instruções para desenvolver sua reserva de emergência?

Temos um artigo dedicado a te ensinar como planejar uma reserva de emergência, incluindo 5 ótimas opções de investimentos para sua reserva.

Independência Financeira e objetivos de médio prazo são a mesma coisa?

Vamos supor que você queira dar a volta ao mundo viajando, e para isso vai ficar 3 anos sem trabalhar, dedicado apenas ao turismo e experiências de vida. Para isso precisa de dinheiro entrando durante todo o tempo. 

Essa situação encaixa no conceito de independência financeira? Também não.

Apesar de serem grandes marcos e exigirem um ótimo planejamento financeiro, objetivos como essa viagem são passageiros, e pressupõe a volta de uma renda ativa após o período determinado.

Eles devem entrar no seu mapeamento de objetivos, parte central de um planejamento financeiro bem feito.

Tipos de independência financeira

Quando desenvolvemos o planejamento de aposentadoria financeira dos clientes da V10 investimentos, começamos entendendo o que a pessoa pensa a respeito do uso de seu patrimônio financeiro durante a independência financeira.

Existem dois modelos de independência financeira distintos, o modelo de renda vitalícia e o modelo de renda temporária. A diferença entre os modelos está no uso do capital acumulado uma vez que a independência de fato começa. 

Modelo de renda vitalícia

Este modelo funciona assim: a pessoa acumula X reais de patrimônio até o momento de início da independência. Quando a chave é virada, a pessoa passa a viver apenas com o rendimento obtido a partir desses x reais.

O gráfico abaixo mostra como é o acúmulo e uso do capital ao longo da vida de quem opta pela renda vitalícia:

independência financeira - modelo de renda vitalícia

Perceba que neste modelo o patrimônio total tende a se manter constante, uma vez que a pessoa usa apenas o valor que rende a partir dele.

Isso significa que uma vez que a pessoa falecer, o valor de seu patrimônio será passado como herança.

Modelo de renda temporária

Em oposição ao anterior, no modelo de renda temporária o patrimônio acumulado até o momento de início da independência também entra na renda mensal usada após a virada de chave.

Isso resulta em um gráfico assim:

O uso do patrimônio acumulado faz com que o valor necessário para gerar a renda mensal esperada seja menor

Em contrapartida, ao fim da vida da pessoa não resta mais patrimônio financeiro em si para herança (apesar de normalmente restarem patrimônios materiais, como imóveis)

Já que o cálculo é feito com muita antecedência, é usada idade limite de 100 anos. Assim, o tempo de rendimento é calculado para que a pessoa tenha independência financeira garantida até atingir essa idade.

Como planejar sua independência financeira

Agora que você entende exatamente do que se trata um planejamento de independência financeira, é hora de começar o seu. 

O cálculo em si pode ser feito através da nossa planilha gratuita de cálculo de independência financeira, mas antes você precisa decidir alguns pontos.

O primeiro passo é a definição dos objetivos e cronograma desejados.

Defina seu objetivo de renda durante a independência financeira

Para planejar sua independência, é necessário definir qual o valor recebido mensalmente uma vez que você passar a viver de renda passiva..

Primeiro defina seu custo de vida mensal.

Se você não faz ideia de quanto você gasta mensalmente, temos uma planilha de gastos pessoais que irá te ajudar. O importante é registrar todo o dinheiro que você gasta em um mês.

Umas vez que você sabe quanto dinheiro gasta em média por mês, tem a base para definir quanto precisa receber mensalmente quando atingir a independência. 

Digo que é a base pois é, em teoria, o valor mínimo de sua renda passiva. Você pode, por exemplo, querer atingir a independência ganhando o dobro de seu custo de vida mensal atual. Pode também querer manter exatamente o valor que você usa hoje.

Lembre-se que o valor definido vai influenciar diretamente no tempo necessário para chegar lá. O que nos leva para o próximo ponto:

Defina quando você quer começar a ter independência financeira.

Você pode querer começar a viver de sua renda passiva amanhã, daqui a um ano, ou daqui a 20 anos. 

Isso altera todo o seu planejamento, por isso vale a pena definir um valor inicial, mas testar diferentes valores depois, usando a calculadora de independência financeira.

Defina se você quer usar o modelo de renda vitalícia ou renda temporária

Como expliquei, esses dois modelos alteram como você vê a utilização de seu patrimônio, portanto é importante que pensar bastante em como você imagina seu futuro financeiro.  

Como você deve imaginar, o cálculo da independência financeira é diferente para cada modelo. Por sorte nossa planilha contém uma aba para cada tipo. 

Baixe gratuitamente nossa planilha de cálculo de independência financeira.

Defina com quanto dinheiro você pode começar e quanto pode colocar mensalmente

Se você já tem uma reserva de dinheiro, esse valor já pode ser alocado em um investimento, gerando mais retorno até o início de sua independência financeira.

É importante também definir quanto você poderá contribuir mensalmente para seu investimento. Lembrando que estamos possivelmente falando de anos, por isso é importante definir um valor que você consiga manter durante esse período.

Esta é uma etapa importante, e deve estar de acordo com o seu planejamento financeiro

Por exemplo: se você quer atingir a independência financeira em 15 anos, mas quer comprar um imóvel em 5 anos, possivelmente terá que manejar seu planejamento para fazer ambos os planos acontecerem.

Use a planilha para calcular sua independência financeira

Se você ainda não baixou a planilha de cálculo de independência financeira, este é o momento. Você pode fazer o download gratuito aqui.

Coloque as informações que você definiu até aqui, usando o modelo de independência que você escolheu.

O cálculo da planilha pede um rendimento anual de seus investimentos, e você pode testar diferentes valores. 

Entretanto, assim como fazemos com nossos clientes aqui na V10, recomendamos usar o rendimento real.Isso significa calcular o quanto seu dinheiro vai render tirando o valor da inflação. 

Explicamos melhor o conceito de renda real (ou juros real) neste post.

Outro ponto importante é utilizar valores de rendimento pessimistas.

Isso por que estamos falando de períodos extensos, e não é possível garantir que você terá grandes rendimentos durante todo o tempo.

Uma vez que você tenha os valores de sua independência financeira definidos, pode começar os investimentos para torná-la realidade!

Escolha os investimentos certos para alcançar sua independência financeira

Primeiro você deve planejar seus investimentos para chegar ao valor necessário para começar a viver de renda passiva. Chamamos esse período de fase de acumulação.

Investir na fase de acumulação

Aqui você deve montar uma carteira com produtos que priorizem os seguintes fatores:

    • Menor liquidez – investimentos em que você só poderá resgatar seu dinheiro em um prazo maior;
    • Mais volatilidade – investimentos que oscilam mais em rendimento por período, podendo ter grandes ganhos mas também rendimentos negativos;
  • Investimentos escolhidos por análises fundamentalistas – escolher investir na ação de uma empresa que mostra uma linha de crescimento contínua à longo prazo.

Lembro que sua carteira deve conter também produtos com menor liquidez e volatilidade, afinal é importante ter uma carteira bem diversificada. O que muda em relação à próxima fase é a distribuição de sua carteira em cada tipo de investimento.

Durante a fase de acumulação, algumas boas opções são:

    • Títulos públicos mais longos – aqueles que têm vencimento próximo à data de início de independência financeira. Se ela tem início em 2050, pode escolher um investimento como o IPCA+2045;
    • Títulos de renda fixa mais longos – o mesmo do ponto anterior, por exemplo CDBs ou debêntures com vencimentos longos, 
  • Títulos de renda variável escolhidos por análises mais fundamentalistas – escolha de ações de empresas que apresentam uma linha de crescimento contínua, e que demonstram seguir essa tendência por muitos anos.

Uma vez que você acumula o capital necessário, passa para a próxima fase:

Investimentos para a fase de independência financeira

Aqui você já estará vivendo apenas de renda passiva, portanto deve montar sua carteira com investimentos que priorizem:

    • Menor volatilidade – você depende do valor investido, e é importante que ele não esteja sujeito a grandes oscilações, como quedas bruscas;
    • Maior liquidez – você não poderá deixar seu dinheiro parado por 10, 20 ou 30 anos como permite a fase anterior, por isso precisa escolher investimentos que permitam um resgate de seu dinheiro em períodos menores de tempo;
  • Renda regular – seus investimentos devem oferecer uma estabilidade na renda, mesmo que com rendimentos menores.

Para isso, sua carteira pode usar produtos como:

    • Fundos imobiliários;
    • Títulos com pagamentos de juros semestrais;
  • Ações boas pagadoras de dividendos.

Nunca é demais lembrar que na fase de independência financeira sua carteira também deverá contar com produtos mais voláteis e com menor liquidez. O que muda é a distribuição do seu patrimônio entre os tipos de produtos.

Espero que nossas dicas tenham te ajudado a entender e planejar seu processo de independência financeira!

Se você fez as contas e percebeu que está mais distante do que gostaria da independência nos moldes que planejava, tenho uma proposta: faça uma consultoria gratuita com a V10 investimentos!

Podemos te mostrar pontos de melhora em sua carteira, e montar um planejamento financeiro que vai te fazer chegar à independência em menos tempo e ganhando mais. O que acha?

Quero melhorar meu planejamento de independência financeira!