5 dicas – Ações no prejuízo: O que fazer?

Tempo de leitura: 3 minutos

Se você já comprou ações alguma vez, pode ter vivenciado uma situação desconfortável. As ações caíram de preço e agora está no prejuízo.

Em quase 10 anos de empresa, já presenciamos diversas reações. Há pessoas que apreendem com o fato e tomam uma de várias soluções possíveis. Outras misturam um sentimento de fracasso, revolta e inoperância. O problema é que a grande maioria das pessoas está nesse segundo perfil.

Primeiro, iremos desconstruir um mito. Se você comprou 1.000 ações de uma determinada ação a R$ 50,00 e agora o preço está R$ 40,00, isso significa que seu prejuízo é de R$ 10.000,00 e não interessa se você ainda não vendeu suas queridas ações.

Essa história de “ainda não vendi, não estou no prejuízo” é uma grande falácia que sua mente desenvolve para gerar conforto e tornar lógico algo completamente irracional. O mercado acionário é extremamente justo em preços e a cotação de uma ação é a soma de todas as expectativas futuras descontadas para agora.

Então, como lidar com ações no prejuízo? Confira 5 dicas preciosas:

1. Lembre o motivo que levou a compra das ações

Muitas pessoas erram aqui, embora seja extremamente fácil de se identificar. A maioria dos clientes que compram ações, escolhem seus ativos por uma intuição infundada, dicas de amigos ou porque a ação “não tem como dar errado”.

Dessas ”infalíveis”, cito algumas dos últimos 10 anos. TELEMAR, NET, EMBRATEL, USIMINAS, CSN, VALE, PETROBRÁS dentre outras que podemos passar o dia contando histórias. Saiba exatamente a razão de sua escolha, e lembre-se porque!

2. Compre mais ações

Vamos lá, comprei as ações, confio em minha escolha, já conversei com profissionais de mercado, e o lucro da empresa está crescente, mesmo assim estou no prejuízo. O que devo fazer?

Dependendo de como está a disposição de todos os seus investimentos, você pode comprar mais ações. Aumentar sua posição e esperar a alta dos ativos.

3. Não crie “amor” por uma empresa

Não significa que uma ação já proporcionou lucros que você deve ganhar dinheiro na mesma empresa, e também não tem relação a empresa que há 10 anos atrás era a empresa do futuro continue sendo a com maior projeção de crescimento.

A economia muda, o cenário econômico muda, os incentivos do governo mudam, sua vida também passa por momentos distintos. Empresas felizmente também têm seus altos e baixos. Está posicionado em um ativo com prejuízo e não consegue visualizar perspectiva de ganho? Simples, mude sua carteira de ações para algo melhor.

4. Use o mercado financeiro ao seu favor

Há inúmeras estratégias com derivativos com risco controlado para você tentar diminuir seu prejuízo. Você pode utilizar de índices e opções para gerar um seguro caso a ação caia mais.

Nesse ponto é de extrema importância conversar com um analista de investimentos independente. Sua carteira tem que ser menos arriscada e não o contrário. É para gerar segurança e não alavancagem. Gerar mais operações e consequentemente mais corretagem só irá aumentar suas perdas.

5. Investir em ações é mesmo a opção ideal?

Em um país onde as taxas de juros de renda fixa são altas, vale a pergunta. Há mesmo a necessidade de investir em ações? E se sim, isso vale para meu perfil? Para a maioria das pessoas a resposta é NÃO.

Se um investimento está gerando stress, ansiedade, insegurança e desconforto, posso garantir que seu investimento está ERRADO. Investimentos não podem tirar seu sono, devem proporcionar felicidade e ter a certeza que seu futuro financeiro está garantido. Pode-se vender suas ações e aplicar na renda fixa, o objetivo no final é que o mercado financeiro gere mais retorno que seu trabalho.

Quer tirar suas dúvidas ou pedir mais dicas? Deixe nos comentários.