10 investimentos melhores que a poupança, simples e seguros

Tempo de leitura: 3 minutos

A poupança é o destino mais comum para quem guarda dinheiro no Brasil, sendo escolhido por 65% das pessoas.

Por isso, é muito comum ver pessoas procurando investimentos melhores que a poupança, para melhorar sua carteira.

E qual é o motivo disso? Os consumidores estão percebendo que ela é altamente influenciada pela inflação, tem um ganho baixo (apenas 0,5% ao mês) e diminui o poder de compra.

Por sorte, existem ao menos 10 investimentos melhores que a poupança.

Confira na lista a seguir opções mais rentáveis e seguras que deixar seu dinheiro na poupança.

Quer entender qual seu cenário financeiro antes de tirar seu dinheiro da poupança? Faça seu diagnóstico financeiro com nossa planilha gratuita!

Se você já tem uma boa saúde financeira, confira como melhorar seus resultados de maneira simples e segura:

1. CDB

Para entender o que é o Certificado de Depósito Bancário, ou CDB, pense em um empréstimo bancário. Qual é a lógica? O banco te empresta um valor e você tem que pagá-lo considerando os juros correspondentes.

CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, é justamente o contrário. As instituições financeiras compram recursos de pessoas físicas e devolvem com a correção monetária.

Diferentemente da poupança, o CDB tem como principal vantagem a liquidez diária. Isso significa que este investimento permite que um resgate seja realizado a qualquer momento.

Porém, alguns CDBs autorizam este acesso apenas depois do vencimento, que pode ser de dois ou três anos. Fique atento!

Outro benefício é que ele é de baixo risco. Você só perde se a empresa falir, o que é uma situação difícil de ocorrer.

A rentabilidade do CDB depende do seu tipo, se dividindo entre CDBs Pré Fixados e Pós Fixados. Para entender melhor a diferença, fizemos um artigo dedicado a explicar o CDB.

2. Letras de câmbio

 Está procurando um investimento de baixo risco, que possui prazos diversos e liquidez diária?

Então, aposte nas letras de câmbio. Elas são emitidas por Instituições Financeiras (sociedades de crédito e financiamento) para que elas continuem o desenvolvimento dos seus trabalhos.

Como exemplo, podemos citar a Crefisa e Fininvest.

3. LCI e LCA

Existem dois tipos de Letras de Crédito que se destacam como opções à poupança:

LCA

Abreviação de Letra de Crédito do Agronegócio, a LCA é utilizada para sustentar o agronegócio

LCI

Abreviação de Letra de Crédito Imobiliário, a LCI é destinada a financiamentos do setor imobiliário.

O rendimento delas depende da estratégia financeira de cada banco, entretanto ambas possuem grande vantagem: são isentas de Imposto de Renda.

Para entender mais sobre cada uma delas, acesse nosso artigo com tudo sobre essas formas de investimentos.

4. Tesouro Direto

A plataforma do Governo Federal em que é possível comprar e vender títulos públicos é chamada de Tesouro Direto.

Essa modalidade é acessível, pois qualquer pessoa pode fazer aplicações a partir de R$30,00. Você precisa apenas ter um conta e cadastro em uma instituição financeira que vai intermediar a negociação.

5. Tesouro Selic

Se você acompanha um pouco do mercado financeiro, já deve ter ouvido falar na taxa Selic ou ainda no Tesouro Selic, que é baseado na variação da taxa básica de juros.

Possui um risco baixíssimo, pois são títulos emitidos pelo Governo e a chance do mesmo não cumprir os seus compromissos neste sentido é remota.

6. Tesouro IPCA

IPCA é mais uma das siglas que envolvem o mercado financeiro.

Quando falamos em IPCA, estamos tratando do Índice Nacional de Preços ao Consumidor, e é o indicador da inflação utilizado pelo Governo Federal.

Isso quer dizer o Tesouro IPCA se baseia na variação dos preços dos produtos e serviços que consumimos.

7. Fundos de investimento

 Os fundos de investimento funcionam como um condomínio de acionistas, no qual uma pessoa/ instituição é responsável pela gestão dos recursos. 

Traz maior segurança e praticidade ter um gestor cuidando do seu dinheiro.

8. Fundos DI

O fundo referenciado DI é o investimento preferido dos brasileiros. E qual é o motivo? Eles oferecem baixo risco, já que são realizados, geralmente, por investidores mais conservadores.

Mesmo não contando com a proteção do FGC, os fundos possuem CNPJ próprio. Ou seja, se o mesmo falir, a administração passa para outra organização.

9. Ações

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, ações não são somente para quem tem muito dinheiro. Qualquer um pode aplicar na Bolsa de Valores e não é tão complicado quanto parece.

Quando você se torna acionista de uma empresa, a sua remuneração se baseia nos dividendos da instituição, ou seja, no lucro! Portanto, se o negócio vai bem, a chance de você receber um valor alto é muito grande.

10. Mercado Futuro

O mercado financeiro oferece inúmeras oportunidades, entre elas o famoso Índice Bovespa ou IBOVESPA.

O cálculo do índice é realizado por uma carteira de investimentos imaginária, composta pelas maiores empresas da Bolsa: quando as empresas se valorizam, o índice sobe e quando acontece o contrário, ele cai.

E é de acordo com este indicador que você consegue fazer o seu dinheiro render e até ficar rico.

Poupança? Nunca mais!

O rendimento da poupança é muito inferior a outros disponíveis no universo financeiro. Portanto, livre-se dela e realize seus sonhos com ganhos maiores, baixo risco e segurança.

Quer melhorar seus investimentos e cenário financeiro, mas não sabe por onde começar?

Faça uma consultoria gratuita com nosso time de especialistas em mercado financeiro, e dê o primeiro passo para uma vida financeira saudável!